Cartas de amor aos mortos – Ava Dellaira

13 abril 2017

Olá meus amores!!!


Hoje vou falar de uma leitura que me emocionou demais: Cartas de Amor aos Mortos.


Cartas de amor aos Mortos aborda vários temas complicados, como: Problemas de relacionamento na adolescência, preconceito, transtornos, dramas familiares e suicídio. Com delicadeza e maestria Ava Dellaira torna os acontecimentos ao longo da trama realmente emocionante.
Laurel sempre soube que nunca seria tão bela, divertida ou corajosa quanto sua irmã mais velha, no entanto nunca se incomodou com isso, pois May sempre foi mais que uma irmã, ela era sua melhor amiga, e por esta razão à admirava imensamente. Mas, May morreu a menos de um ano, e desde então Laurel carrega uma tristeza profunda causada pela perda.
Problemas para relacionar-se sempre estiveram na vida da jovem, contudo a morte da irmã agrava vários outros transtornos. Ela esta se sentindo mais sozinha do que nunca, sua mãe se divorciou e mudou-se para Califórnia deixando a Laurel com o pai, mas ele não é muito de conversar e assim como ela não sabe demostrar os sentimentos.
Porém esse ano ela iniciará o ensino médio em uma escola nova, onde as pessoas não sabem sobre a morte de sua irmã, ou seja esse ano é uma nova oportunidade de recomeçar.
A trama inicia quando a nova professora de inglês a Sra. Buster pede a turma para fazer uma tarefa um tanto diferente, ela quer que escrevam uma carta para alguém morto. Ela sabe sobre a morte trágica de May e por isso tenta discretamente ajudar a aluna por meio da tarefa. Com essa proposta a protagonista começa uma série de cartas para os seus ídolos falecidos.


“Querido Kurt Cobain,
 Hoje a sra. Buster passou nossa primeira tarefa de inglês: escrever uma carta para uma pessoa que já morreu. Como se a carta pudesse chegar ao céu ou a uma agência de correio dos fantasmas”.


O livro é escrito em formato de cartas desde a primeira página, Laurel faz delas seu diário, contando acontecimentos de sua rotina diária, suas dificuldade e vitórias. as cartas são escritas para diferentes astros, variando conforme o assunto em questão.


“Querida Elizabeth Bishop,
Quero contar duas coisas que aconteceram na aula de inglês hoje. Lemos um poema seu, e a classe ouviu minha voz pela primeira vez”.


Na escola a personagem conhece Hannah, uma menina linda de longos cabelos ruivos e muitos segredos, e também Natalie que está em uma "paixão proibida". Juntas elas constroem uma amizade que ajudará muito o crescimento emocional de Laurel.
Outras amizades vão aparecendo com o decorrer da narrativa, como Tristan e Kristen, tal como o romance com Sky, um menino quieto, lindo, diferente e imperfeito, Lauren se apaixona por ele desde que o vê pela primeira vez no intervalo no colégio.
As cartas de Laurel ao longo da história são intensas, nas primeiras conseguimos perceber claramente sua dor, também a solidão que ela sente por não ter com quem conversar, e o sentimento de abandono que a mãe deixou no coração da menina ao mudar-se sem levá-la.

"- Sabe, acho que, quando você perde alguma coisa próxima, é como perder a si mesmo. É por isso que, no final, até escrever é difícil para ela. Ela quase não sabe como fazer. Porque quase não sabe mais quem ela é". 
 

Já no final da narrativa, a escrita ganha um tom mais leve, e fica claro que a personagem está superando os traumas.


"Sei que May está morta. Quer dizer, uma parte racional de mim sabe, mas não parece verdade. Ainda sinto como se ela estivesse aqui, comigo, de alguma maneira. Penso que ela vai entrar pela janela, depois de sair escondida, e me contar como foi a aventura. Se eu for mas desapegada, como May, talvez aprenda a viver sem ela". 


É claro que uma história tão maravilhosa teria um desfecho surpreende os leitores.


 "O universo é maior do que qualquer coisa que cabe na sua cabeça. - disse May para Laurel. Cada um de nós, cada personagem é um universo. Com seus segredos e pensamentos, dores e alegrias. Um universo, belo e desconhecido."

Outro ponto importante sobre o livro são as fortes referências aos artistas já mortos como: Judy Garland, River Phoenix, Amelia Earhart , Kurt Cobain e Amy Winehouse.
Cartas de amor aos mortos é um drama intenso, escrito de forma leve e agradável, uma leitura deliciosa.
Durante a leitura tive vontade de ouvir as músicas dos astros de Laurel, me apaixonei junto com ela por Sky, senti como se tivesse feito laços com seus amigos e me chateie por ela ter vivido situações tão tristes.
Sei que fiz muitas citações durante a resenha, mas achei importante mostrar um pouco mais sobre esse furacão de sentimentos que Cartas de amor aos mortos é.



Gostaram da resenha galerinha? não se esqueçam de seguir o blog para ficar por dentro de todas as publicações.


Beijos.







Top Comentário - Ed. Mesversário


Nenhum comentário

Postar um comentário

© BLOG PORRE DE LEITURA E LIVROS- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por MK DESIGNER E LAYOUTS