" Te Conto um Conto"

20 julho 2017

Olá meus amores! Tudo bom?
 
Hoje eu venho trazer mais um conto maravilhoso da minha parceira Ana Mel do blog Na Janela da Jane (Link). Então bora conferir porque ela arrasa.
 
 
 
 
Que saco!! Será que seria muito difícil para o universo me dar uma mãozinha só hoje?!
Há um ano me preparo para esta noite, a grande noite em que minha agência de publicidade poderá ganhar a conta de uma das maiores empresas de e-commerce do Brasil.  Trabalhei duro durante 12 meses inteiros, sem horários de almoço, happy hours, festa em família, nada. E ainda nesse intervalo, fui abandonada, humilhada e levada ao fundo do poço pelo Cadu, com quem namorava desde a faculdade. Além de me deixar de coração partido, ele levou meu projeto, ou seja, precisei remendar meu coração e começar do zero, pois não poderia apresentar o mesmo projeto na grande noite.
Muitos podem dizer, e dizem, caramba Isa você não quis matar o Cadu? Depois de 6 anos juntos? Sim eu quis, e imaginei 1000 maneiras diferentes de fazer isso, porém uma coisa que aprendi nisso tudo é que o único jeito de atingi-lo honrosamente e em cheio, seria ganhar a conta, porque nada mais o deixa louco do que perder profissionalmente.
E aqui estou eu, lutando com unhas (roídas) e dentes para ganhar essa e esfregar na cara dele. Essa conta significa a ascensão da minha empresa, muito dinheiro na conta, e a possibilidade de olhar nos olhos do Cadu e dizer “perdeu playboy” com estilo.
Mas para que isso tudo aconteça eu tenho que chegar no horário para a apresentação.  E estou começando a achar que o Cadu fez um vudu para mim, pois desde a parte da manhã tudo o que não poderia acontecer aconteceu. Meu computador deu pau, o pen drive com o projeto foi comido pelo meu cachorro, precisei leva-lo ao veterinário para tomar um laxante e devolver o que pegou sem permissão. Precisei levar o Duque (meu cachorro) para o escritório, o qual foi forrado de jornal, e esperar o milagre acontecer, e é claro procurar em meio ao cocô fedorento e levemente amolecido meu pen drive no formato de Harry Potter.
Após a sessão de desinfecção, consegui abrir o projeto para fazer os retoques finais e deixa-lo prontinho para a apresentação.  Minha amiga fiel, a Claudia, ficou responsável por cuidar do Duque e me ajudar com o look, pois queria arrasar no evento. Chegar deslumbrante e linda e ainda por cima exalar a segurança e o poder de alguém digno de ganhar a conta.
Mas é claro que me atrasei, chamei um taxi para evitar ficar mais nervosa e tensa no volante. Só que justo hoje, o país decidiu manifestar e reivindicar nas ruas, e o caos tomou conta. Estou linda, com tudo pronto, mas presa no engarrafamento.
O único jeito é arregaçar as mangas, tirar o salto e ir a pé.

- Senhor, vou ficar por aqui mesmo, tenho uma reunião muito importante e não posso me atrasar , quanto lhe devo?

-Cinquenta reais - disse ele com toda a naturalidade do mundo

-O que? Cinquenta paus, mas eu nem sai do quarteirão praticamente- espero que toda a minha indignação tenha ficado muito clara

-É moça, mas estou preso na manifestação e agora não vou conseguir fazer mais nenhuma corrida.

-E a culpa é minha?- Ele somente me olhou pelo retrovisor, com um olhar inquisidor. Melhor eu pagar e dar o fora daqui.

Saltei do veículo, tirei os saltos, prendi meus cabelos lindos e escovados, e guardei no fundo a vontade de chorar que queria vir à tona. Agora não é a hora, não depois de tudo o que passei para chegar esse dia.
Nesses momentos que notamos as imperfeições da cidade, meus pés estão em frangalhos, terei que lavar com cloro para limpar.
Durante todo o trajeto, fui passando a apresentação na cabeça, e imaginado meu triunfo, afinal pensamentos positivos atraem coisas boas, pelo menos foi o que minha mãe sempre me ensinou.
Quando cheguei em frente ao edifício, recoloquei os saltos e soltei os cabelos. Teria que dar uma passada rápida no banheiro para retocar a maquiagem e secar as axilas que estavam transbordando feito às cataratas. Que saco!!!!!!
Entrei no banheiro rapidamente, parei em frente ao espelho e comecei o processo para recuperar a dignidade feminina.

- Eu vou conseguir, eu vou conseguir, eu vou conseguir....

Quando estava repassando o rímel, olhei para o reflexo que estava atrás de mim, me olhando com muito interesse e curiosidade e acabei borrando meu olho.

-Oi. Tudo bem?- Ele me perguntou com receio

-Digamos que poderia estar melhor- respondi ainda olhado para o reflexo

-Noite difícil? – disse ele com cautela

-Deu para notar? – nesse momento eu me virei e vi que estava de frente com um anjo lindo, só poderia. Nunca vi tanta beleza em um homem.

-Deu sim, somente em uma noite difícil uma mulher entraria no banheiro masculino para retocar a maquiagem.

Ai que droga! Alô universo, será que dá para aliviar para o meu lado, por favor!

-Me desculpe, não reparei, entrei com tanta pressa que não vi que era o banheiro masculino.

Olhei ao redor e vi que estava mesmo em outro mundo quando entrei, pois o local era cheio de mictórios, o que nunca havia visto em banheiros femininos. Que vergonha!

-Acho que não estava muito atenta né?! Desculpa, já vou sair.

-Imagine, não se preocupe, se quiser faço companhia até terminar de se arrumar, afinal, no banheiro feminino garanto que você terá que disputar um espaço frente ao espelho.

Nossa além de lindo e simpático é atencioso.

-Muito obrigada, estou quase acabando, só preciso corrigir o rímel e pronto.

Terminei, dei aquela última conferida, e pronto.

-Pronto. Muito obrigada, você salvou minha vida. Hoje é um dia muito importante para mim, não costumo ser tão perdida, mas minha sorte tem me dado alguns foras ultimamente. Sou Isabela afinal. Estendi minhas mãos, morrendo de medo de entregar a mancha de suor que certamente marcava minha camisa branca.

-Muito prazer Isabela, sou o Rafael.

-Prazer Rafael, você veio para a apresentação da e-commerce?

-Sim, não me diga que você também? – o olhar dele ficou ainda mais curioso e os olhos cinza pareciam sondar meu interior, senti um leve arrepio na barriga com isso.

-Eu vou apresentar um projeto, estou tentando ganhar a conta para a minha empresa de publicidade, mas é que não foi fácil chegar até aqui. Isso significa muito para mim.

-Boa sorte então. Tenho certeza que se sairá muito bem.

-Obrigada.

Saímos do banheiro, e não pude evitar em dar uma leve olhada nele, por inteiro. Alto, ombros largos e fortes, uma postura de tirar o fôlego. Cabelos castanhos escuros, olhos cinza, boca carnuda e convidativa, uma combinação perigosa em um homem.
O deus grego serviu para desviar meus pensamentos por alguns instantes, o que me acalmou um pouco. Mas ao chegar na recepção e dar de cara com o Cadu, toda a insegurança, vergonha, e medo me tomaram de maneira arrebatadora.  Preciso controlar minha respiração ou colocarei tudo por agua a baixo, e não posso dar esse gostinho para ele.

-Oi Isa como você está? – filho da mãe, como eu estou?

-Oi Carlos Eduardo, tudo bem? Eu estou ótima, melhor impossível - o olhar dele foi um misto de “me conta outra” e “é só fazer assim que eu volto”, que raiva.

Sentei no local determinado, e comecei a arrumar minhas coisas. Preciso recuperar minha confiança.
O gerente da empresa entrou na sala para dar início à reunião. A primeira apresentação será a do Cadu, o que fará a  minha ansiedade ganhar proporções monstruosas.

-Antes de começarmos quero apresentar o CEO e proprietário da e-commerce e quem irá decidir pelo ganhador na noite de hoje. Senhor Rafael Vasquez.

Opa, o que o Rafael do banheiro está fazendo aqui?  Não acredito nisso, ele é o dono da empresa? Estou definitivamente acabada. Nesse momento ele olhou pela sala de reunião em um cumprimento generalizado e seu olhar caiu sobre mim. Todo o sangue do meu corpo foi para o rosto, minha respiração ficou presa e tudo o que eu queria era sair correndo.

-Então daremos início ás apresentações, espero encontrar hoje o que procuro – disse ele com a postura de um verdadeiro Lord.

A apresentação do “cara de pau” do Cadu foi muito boa, ele manteve toda a minha ideia original e ainda por cima todos os detalhes do projeto que só ele sabia. Como fui burra, agora preciso ganhar de mim mesma.
Respirei fundo, peguei minhas anotações e meu pen drive e me desloquei até a frente para dar inicio a apresentação da minha vida. Pude ver pelo canto de olho que o Cadu tinha aquele sorriso irônico que eu conheço muito bem nos lábios, para ele está certo quem vai sair vitorioso hoje.
Não tive coragem de olhar para o Rafael, preciso me concentrar, e aqueles olhos cinzas não vão me ajudar agora.
Universo, esteja à meu favor, só hoje, eu imploro!
Não posso perder tudo pelo que batalhei na vida, essa é a minha oportunidade. Reuni minha força, pensei em tudo o que já passei na vida e dei início a minha apresentação, com muito amor, foco e determinação.
Depois de uma eternidade resumida em 15 minutos, os responsáveis pela empresa e-commerce, incluindo claro, o Rafael, se retiraram para conversar antes do veredicto.

-Muito boa sua apresentação Isa, projeto lega l- disse Cadu, o ladrão de corações e projetos alheios

-Obrigada Cadu, o seu estava muito bom também, ótima a sua ideia. – fiz questão de dar aquela envergada na sobrancelha que ele tanto odeia, só para enfatizar o momento. Deu certo, porque ele rapidinho desviou o olhar e passou a conversar com seu novo sócio.

O tempo de espera foi torturante, imaginei todos os desfechos possíveis, e em todos eu chorava, por motivos diferentes. Mas independente do final, não posso dar esse gostinho ao Cadu, prometi para mim mesma que ele não veria mais nenhuma lágrima minha.
Nesse momento Rafael e seus conselheiros voltaram para a sala, chegou a hora da verdade, não dá mais para escapar.

-Senhores. Fiquei muito satisfeito com o que vi essa noite, ambos os projetos são maravilhosos, muito inovadores e vão de encontro à identidade da minha empresa. Mas eu busco além de um projeto, busco paixão, comprometimento e vontade. E um projeto se destacou nesses quesitos.

O suspense é horrível, não lembro o que tenho que fazer para piscar e respirar.  Acabe com esse martírio logo, por favor!

-É com muita satisfação que comunico que a agencia que será responsável pela conta é a Imaginarium  da senhorita Isabela Nunes . Parabéns Isabela, sua apresentação foi maravilhosa.

Nossa, acho que todas as emoções do mundo estão sobre mim agora, não sei o que dizer e o que fazer. Sinto meus olhos marejados, e embora queira muito chorar, acredito que não seja muito profissional agora, além do que meu rímel não é a prova d’água e não quero ficar como um panda na noite da minha vida.

-Muito obrigada senhor Rafael, trabalhei duro nesse projeto e lhe garanto que faremos uma ótima parceria - aqueles olhos lindos me pegaram em cheio

-Conto com isso Isabela- o CEO deu lugar ao rapaz simpático e atencioso que conheci no banheiro, eu sorri como se tirasse uma montanha das costas.

O Cadu e seu sócio saíram da sala sem nem olhar para traz, eu bem que queria esfregar na cara dele, mas pensando bem, acho que não será necessário, pois ele viu que mesmo tendo roubado o meu projeto, não tinha o amor necessário por ele, e essa era a diferença.
Voltei para o meu lugar, tenho que arrumar minhas coisas, ligar para a minha mãe e para a Claudia e contar tudo, estou muito feliz.

-Isabela gostei muito do seu projeto, queria conversar mais sobre ele.
Não tinha notado a aproximação do Rafael, o que não é muito fácil tratando de um deus grego.

-Claro senhor Rafael, gostaria de marcar uma reunião amanhã? – ai caramba, os olhos cinza estavam me olhando profundamente.

-Se não se importar, gostaria que me chamasse só de Rafael, senhor Rafael é o meu pai- notei um certo constrangimento nele, o que o deixou mais lindo ainda.

-Claro. Rafael então.

Senti um leve rubor tomar conta do meu rosto, seria interessante trabalhar com ele.

-Então Isabela..- já que é assim preciso definir algumas coisas também.

-Só Isa, por favor, vamos entrar nesse acordo, pode ser?

Ele sorriu, e a combinação de dentes perfeitos, e olhos cinza são de parar o transito.

-Acordo feito Isa. Então quer tomar alguma coisa? Podemos conversar mais sobre o projeto, o que acha?

-Agora? –acho que meu espanto deixou minha voz um tom mais alta

-Se você não tiver um compromisso, claro não quero atrapalhar a sua noite.

Atrapalhar a minha noite?! Impossível

-Não tenho nada importante para fazer essa noite, podemos tomar alguma coisa sim.

- O que prefere? um café ou um vinho?

O que diria de um banho? Meu Deus tenho que afastar esse pensamento o quanto antes, ele agora é meu chefe.

-Aceito um vinho, preciso mesmo relaxar um pouco.

-Ótimo, porque eu também.  Tenho certeza que faremos uma parceria perfeita. – Isso soou coo um leve flerte, achei delicioso.

E como um cavalheiro, me ofereceu o braço como apoio e me levou em direção ao seu carro. Finalmente o Universo estava me dando àquela mãozinha, e eu não poderia pedir mais, pois tinha ganhado a conta, estava saindo para tomar um vinho com um homem lindo e gentil e na saída pude ver que o Cadu olhava embasbacado para o meu braço entrelaçado ao do Rafael. A expressão dele me fez ganhar a noite mais uma vez, eu finalmente tinha esfregado meu sucesso, e com estilo na cara dele.
Algo me diz que essa parceria vai ser realmente maravilhosa.



Fim!!!



Espero que tenham gostado, e não deixem de visitar o blog da Ana.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© BLOG PORRE DE LEITURA E LIVROS- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por MK DESIGNER E LAYOUTS